Danos causados pelas ondas eletromagnéticas no corpo humano

Publicado dia 07/11/2014 Comentário: 1

A organização mundial de saúde (OMS) anunciou em Junho de 2005, sua pesquisa de baixa freqüência cuja conclusão preliminar foi a seguinte:

1.1) A exposição sob a freqüência de um campo eletromagnético, que tem apenas o risco 2B que pode causar leucemia infantil (nível 2B se refere ao possivelmente fator carcinogênico que pode surgir, sendo que o café, resíduos de motores a gasolina estão na mesma classificação).

1.2) O individuo poderá adoecer do câncer denominado infantil ou de qualquer outra doença no nível de risco, tipo 3 (devido à ausência de estudos conclusivos não se pode, com certeza, afirmar que tal fator de risco seja carcinogênico).

2) A energia de radiação da onda Eletromagnética é baixa frequência, o que assim, não fará com que o metabolismo humano sofra o fenômeno da dissociação como também não irá causar danos diretamente ao ambiente. No entanto em todos os locais onde há um numero expressivo de equipamentos ou com o uso contínuo dos eletroeletrônicos da vida moderna, há ocorrência de interferência de ondas eletromagnéticas no ser humano. Devido a este fator deve-se ficar atento para que tal fenômeno não ocorra de forma a não levar danos à saúde. No caso do uso comum de computadores e se isto ocorrer por longo tempo, as ondas eletromagnéticas geradas pelo aparelho poderá gerar no indivíduo sintomas tais como: vista cansadas, dores de cabeça, e nos ombros, mente esgotada, bem como outros sintomas.

As ondas eletromagnéticas têm a também a propriedade de causar a queda da imunidade bem como a redução de calcários do corpo humano, distúrbios visuais, obstáculo na divisão celular, câncer, leucemia, tumor no cérebro e ainda nas mulheres, irá excepcionalmente propiciar ao aborto.

3) Além dos inúmeros danos que as ondas eletromagnéticas causam ao corpo humano, estas ainda reduz a investigação de resultados, em exames, após a observação e o estudo experimental. Dentre os vários problemas mencionados gera ainda os seguintes problemas ao corpo humano:

3.1) Danos no sistema nervoso da central: O sistema nervoso é muito sensível à função da radiação eletromagnética. Quando este é afetado repetidamente apresenta mudanças no SNC com o surgimento da síndrome de neurastenia, com os sintomas básicos de dor de cabeça, tonturas, incapacidade, redução da memória, distúrbio do sono (perda do sono, com muitos sonhos ou vício em repouso), cochila durante o dia, desanimo, palpitação, peito entupido, perda do cabelo, particular dificuldade para dormir, perca de memória. Tais sintomas são típicos de que o cérebro está em processo inibitório. Assim, além da síndrome de neurastenia, também, exibe memória de curto período de tempo, além de apresentar coordenação motora prejudicada.

3.2) Danos à função imunológica do organismo: Reduz a resistência do organismo a elementos patogênicos. Em outras palavras, há uma levada redução da capacidade da função de defesa do organismo.

3.3) Influência no sistema cardiovascular: A radiação eletromagnética pode também afetar o fluxo do sangue nos vasos sanguíneos. Se a função de ajuste autônoma dos nervos fica sob influência, as pessoas podem apresentar redução das batidas do coração, sendo que uma minoria pode apresentar taquicardia. O individuo apresenta a flutuação da pressão arterial, sendo que esta começa a elevar, para depois voltar ao normal. Apresenta pressão sanguínea baixa; O eletrocardiograma realizado nos indivíduos apresenta queda na tensão das ondas R e T, o que pode ser confundido com uma reação alérgica ou uma decorrência do movimento do músculo do coração. Há a extensão de Q, a onda P se amplia, mostrando que a condução auriculoventricular está comprometida. Para sanar tal questão, o paciente deverá buscar um tratamento, prévio para que não desenvolva uma doença cardiovascular.

3.4) Influência no sistema sanguíneo: em função da radiação eletromagnética, a situação do sangue pode apresentar a instabilidade dos leucócitos, glóbulos brancos, com tendência a apresentar leucopenia que é a redução de leucócitos no sangue, os quais são responsáveis pela defesa do organismo. Pesquisas de saúde indicam que a maioria das pessoas, sob tal efeito, apresenta tal efeito. Além disso, quando as ondas de rádio, e os raios radioativos afetam simultaneamente o corpo humano as funções do sistema sanguíneo podem sofrer danos mais notáveis.

3.5) Influência nos sistemas reprodutivos e hereditariedade: o contato de pessoas do sexo masculino com o gerador de ondas ultracurtas pode apresentar impotência sexual, sendo que no caso feminino podem ocorrer desordens no ciclo menstrual além de que no processo de ovulação há ocorrência de problemas de tal ordem que ocorre problemas para a célula ovo levando esta a perder a capacidade de dar a luz.

3-6) Influência no sistema de visão: Devido a grande umidade na região dos olhos, tal fator propicia a absorção da radiação eletromagnética, considerando ainda que pelo fluxo sanguíneo nesta região ser baixo, a temperatura do olho é fácil de elevar. Tal fenômeno é uma das principais condições para a ocorrência da catarata. A maioria dos estudiosos acredita que a baixa intensidade das microondas pode acelerar a redução do campo da visão criando assim, certos distúrbios visuais. Além disso, a exposição à radiação eletromagnética de baixa intensidade por longo prazo pode fazer com que os olhos fiquem ressecados e desconfortáveis.

3-7) Radiação eletromagnética cancerígena: a maior parte dos experimentos em animais comprova que, após a exposição à microondas, pode transformar células normais em células cancerígenas. Os EUA recebem alta taxa de radiação eletromagnética sendo que por um tempo prolongado os funcionários das embaixadas as interceptaram. Foi constado um crescimento anormal no número de glóbulos brancos nestes funcionários. Após investigações, em locais onde ocorre a existência de poderosos radares de longa distância, foi constado um aumento significativo de pacientes com câncer. Na terapia, do tratamento do câncer com o uso microondas é enviada uma reação térmica para o tecido do corpo humano onde há um aumento de sua temperatura que destrói a proliferação das células cancerígenas. Foi constatado através de experimentos que a radiação eletromagnética induzida pode ocasionar no corpo humano (genética molecular), uma mudança súbita no cromossomo. Assim, a radiação eletromagnética pode curar o mal, mas por outro lado pode alterar o metabolismo, de tal forma que ocasiona uma mudança nas formas dos órgãos como também a ocorrência de vários efeitos colaterais.

Como reduzir os danos causados pelas ondas eletromagnéticas?

Pode ser reduzida a partir de uma forma simples de se fazer uma medição para definir se o equipamento emite radiação ou onda eletromagnética. Esse método pode ser utilizado na própria residência do interessado. Para isto poderá ser utilizando um pequeno receptor de rádio, ajusta-o a uma estação de ondas AM (Amplitude modulada) onde este se aproxima o rádio dos aparelhos eletrodomésticos como. televisão, microondas, computador dentre outros e se. Constata se o ruído gerado aumenta de intensidade repentinamente. Logo após este é afastado do aparelho progressivamente ate que o tom volta ao nível original. Quando isto ocorrer, a dedução é que esta é a distância considerada segura a ser mantida do aparelho testado.

Aliado a isto, os aparelhos merecem cuidados diferentes, de acordo com o seu tipo. No caso de um computador, por exemplo, o mais importante é tomar os devidos cuidados no uso em especial do monitor, devido às mudanças no cristal líquido. Quanto ao telefone celular, após este ser usado não deve ser guardado na cintura ou no bolso da calça ou camisa. O ideal é que se tenha um suporte no punho, de forma a ficar mais longe do corpo humano. Deve se atentar também para a distância da residência até o transformador de energia elétrica sendo que deve estar o mais distante do mesmo bem como de qualquer central de distribuição.

Em 1933, uma pesquisa de três países do norte da Europa revelou que a Suécia recebe mais de 2 MG de influência de radiação eletromagnética. As pessoas que sofriam de leucemia nestes locais era cerca eram 2,1 vezes a taxa considerada normal assim como. Os que sofriam de problemas cerebrais como inchaço, eram 1,5 vezes maiores.

Sugestões dos especialistas:

10 Medidas preventivas contra as ondas eletromagnéticas:

a-1). Manter o mais longe possível do produto eletrificado para se ter a menor à influência de ondas eletromagnéticas.

a-2). Caso não seja possível impedir ao máximo a exposição possível já que, quanto menor o tempo, menor o efeito.

a-3). Selecione os produtos com menores ondas eletromagnéticas. O rádio de comunicação é menor que o celular.

a-4). Selecione considerando a potência já que as ondas eletromagnéticas são proporcionais a estas.

a-5). As crianças requerem atenção especial, devido à divisão celular sendo que recebem os efeitos com mais intensidade. O mesmo caso ocorre com mulheres grávidas.

a-6). O manual do fabricante do aparelho deve determinar a distância segura a ser mantida dos equipamentos. Tal distância deve ser claramente explicita.

a-7). Deve-se ter atenção especial com as áreas laterais e traseiras dos televisores e computadores. As ondas eletromagnéticas nessas regiões são muito fortes.

a-8}. Se o aparelho não for utilizado, o plug deve ser removido da tomada, pois o aparelho plugado emite parte das ondas eletromagnéticas.

a-9). O tempo de sono é muito importante. Mesmo pequenas exposições durante o dia podem causar grandes efeitos

a-10). Tente ser menos dependente dos produtos que utilizam eletricidade. Quanto mais exposto, maiores os efeitos das ondas eletromagnéticas.