PESQUISA CIENTÍFICA DE RADIAÇÃO CELULAR

Estudos Científicos endossados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) 

As Nações Unidas (ONU), a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Associação Internacional de Radio proteção (AIR) patrocinaram a pesquisa da Dra. Susan Morales, cujo relatório divulgado na revista Integral nº66, em resumo diz: 

"É crescente a contaminação eletromagnética provocada pelo uso de aparelhos elétricos e eletrônicos, o que causa alterações no sistema imunológico." 

Os Drs. Andrew Marino e Robert Becker, da Faculdade de Medicina da Universidade da Luisiana (EUA), concluíram: 

"As fontes eletromagnéticas provocam diversos tipos de câncer. Os campos eletromagnéticos de baixa freqüência afetam a energia dos seres vivos." 

Nancy Wertheimer, do Departamento de Eletrônica da Universidade do Colorado (EUA), realizou um estudo com 250 funcionários das centrais elétricas locais: 

"Verificou que o índice de mortalidade por câncer do sangue (Leucemia) é o dobro em relação ao restante da população." 

O Dr. Cyril Smith, da Universidade inglesa de Salford: 

"Comprovou que o organismo das pessoas que moram próximas das linhas de AT produz uma maior quantidade de endorfinas (drogas naturais), cuja concentração exagerada no organismo provoca uma ação similar à morfina." 

O Dr. Lennart Tomenius publicou na revista sueca "Bioelectromegnetics", um estudo sobre o câncer infantil, devido a exposição de débeis campos magnéticos induzidos pela rede elétrica de Estocolmo. 

O Dr. Sabonev, na Rússia, demonstrou que 50% das cobaias de laboratório morriam ao serem expostas por 270 minutos a uma irradiação provocada pela corrente alternada normal, usada em nossas residências. 

O Engenheiro alemão Egon Eckert relacionou as mortes súbitas de crianças recém-nascidas em Hamburgo com a proximidade de emissoras de rádio, postes com transformadores e linhas de alta-tensão. 

O Engenheiro francês Cody realizou uma pesquisa para provar as afirmações do radiestesista Vouilaume sobre a existência de energias telúricas negativas (ETN). Ele constatou haver uma relação entre as ETN e a incidência de doenças graves nos moradores de prédios, o que gerou um relatório de 131 paginas. 

Dennis Purro realizou uma experiência comprovando os malefícios das irradiações emitidas por fornos de microondas.

Já em 1.909, (julho), na revista Century Magazine,  Nikola Tesla, denunciava "O Problema do Aumento da Energia Humana, onde declarou, poder-se utilizar ondas estacionárias para produzir efeitos a distância, inclusive localizar objetos, tais como navios, já pensava em algo parecido com o radar, mais avançado, e capaz, também, de produzir EFEITOS ELÉTRICOS em qualquer parte do globo terrestre. Como se vê, preconizava todo o progresso tecnológico que aí está, mas já se preocupava com o efeito patogênico que poderia advir. Seus seguidores, Enel, Bélizal, e La Foye, ampliaram seus estudos e declararam que essas emissões apresentariam duas fases, que foram batizadas ELÉTRICA e MAGNÉTICA.